Você Fiscal

Carta aberta ao eleitor

Caro(a) eleitor(a),

Você sabe o que acontece com o seu voto depois da votação?

Há 17 anos, dependemos da votação eletrônica. Há 2 anos, ela foi comprovada insegura. Este ano, com seu apoio, vamos fazer algo a respeito!

O projeto Você Fiscal, que foi viabilizado pela sociedade civil por financiamento coletivo pelo Catarse (mais de mil pessoas doaram R$ 65.540,00), vai permitir aos brasileiros fiscalizar a votação eletrônica pela primeira vez na história.

O que precisa ser feito é: chegar na seção eleitoral pouco antes das 17h, quando acaba a votação, tirar fotos do Boletim de Urna (BU) e enviá-las à nossa equipe pelo vocefiscal.org/upload ou pelo nosso aplicativo http://bit.ly/vocefiscal-app. (Confira os links com mais informação e instruções ao final desta carta.)

Essa iniciativa, do professor de Computação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Diego Aranha, do empreendedor digital Helder Ribeiro e de todos os que contribuíram para o projeto se concretizar, tem o objetivo de exigir mais transparência na votação eletrônica brasileira e colocar na mão do eleitor o poder de fiscalizá-la.

Desde a adoção das urnas eletrônicas, em 1996, vigora dentro do país, com ampla aceitação, a narrativa oficial de que a votação brasileira é extremamente segura e confiável.

Em 2012, a equipe coordenada pelo professor Diego Aranha, então na UnB, venceu os testes públicos organizados pelo próprio TSE, revelando falhas que permitem revelar quem votou em quem e, pior, alterar o resultado das eleições.

Desde então, o professor passou a defender que é urgente e necessário haver mais transparência na votação eletrônica brasileira — uma vez que o mesmo órgão (o TSE) regulamenta, executa e julga todo o processo, sem que haja auditoria externa efetiva da sociedade.

A decisão de buscar apoio da sociedade civil para viabilizar o Você Fiscal veio no início de junho, pouco antes da abertura da Copa do Mundo 2014, quando o TSE divulgou que não realizaria testes públicos antes destas eleições.

Apartidário e independente, o Você Fiscal defende que o sistema brasileiro de votação seja livremente auditável pela sociedade, com software e hardware abertos e produção de registro físico — anônimo — do voto, o que não implica em violação do sigilo e ainda permite auditoria e recontagem independentes.

Ao contrário de todos os outros países que adotam votação eletrônica, o sistema brasileiro é o único do mundo onde classes inteiras de fraudes ainda são, por projeto, indetectáveis, por não haver uma trilha (por exemplo, em papel, além do registro digital) de evidências independentes com a qual comparar o resultado.

O Você Fiscal não resolve os problemas estruturais do sistema brasileiro de votação, mas é um passo importante e concreto da sociedade civil de tomar consciência da fragilidade dos alicerces digitais da democracia, se perceber dona e responsável pelo processo eleitoral, tomar ações concretas para exigir transparência em uma parte do processo onde ela já foi conquistada (a disponibilização pública do BU) e não se calar até que a transparência e a prestação de contas à sociedade se estenda a toda a regulamentação, implementação, execução e julgamento das eleições. Dê este passo conosco!

Para saber mais:

Para mobilizar:

Para agir:

  1. Baixe o aplicativo e faça muitas fotos de BUs no dia 05/10: http://bit.ly/vocefiscal-app.

    Se não tiver Android, aprenda a tirar fotos com qualquer câmera: http://bit.ly/vocefiscal-sem-app.

    Aprenda e ensine a fotografar os BUs com o cartaz (dá pra imprimir e espalhar): http://www.vocefiscal.org/vemproBU/.

  2. Compartilhe o vídeo oficial com os seus contatos: bit.ly/vocefiscal-video #vemproBU
  3. Ajude-nos a encontrar mesários e mapear as instruções que eles estão recebendo, compartilhando este formulário: http://bit.ly/mapeamento-do-bu.

Fiscalize a eleição conosco. O voto é nosso, e a responsabilidade de fazê-lo valer, também.

Estamos juntos!

Abraço,
Diego Aranha, Helder Ribeiro
e Equipe Você Fiscal

Apoiadores no Catarse

O Você Fiscal não seria nada sem o apoio de tantos cidadãos comprometidos. Em especial, agradecemos de coração a quem acreditou no projeto lá no começo, quando éramos apenas um vídeo e a vontade de fazer. Abaixo estão os nomes (além dos 81 anônimos) de quem contribuiu com o projeto na nossa campanha de financiamento coletivo (Catarse <3). Vocês são nossos heróis!


Junte sua voz à nossa. Assine a carta compartilhando: